Leitura das primeiras palavras, tinta invisível e letras de lixa

http://www.mentesabsorventes.com/?p=125

Hoje foi um dia especial: pela primeira vez I conseguiu ler algumas palavras (MEU TESOURO) sozinha, usando o método fônico. Comecei a poucos dias a escrever diariamente a data e algumas palavras de “bom dia” com as letras que ficam na geladeira. Nem preciso dizer que fizemos muita festa e a mamãe ficou toda orgulhosa, né?! Sei que ela ainda tem dificuldade com o som de algumas letras (D, G, J, R), então aproveitei a experiência da “tinta invisível” (para quem não conhece, use o suco de um limão para pintar/desenhar e depois aproxime o papel do calor – sem deixar queimar – e a “tinta” aparece) para trabalhar o som do “G”. Ela adorou a “mágica”! 9524707523_d8b370d467

Apresentei também (finalmente!) as letras de lixa que tinha terminado de fazer na noite anterior. Pensei que ela não ia dar muita atenção, mas gostou de passar o dedo nas letras e depois transcrever na areia (coloquei um pouco de glitter e uma bandeja de alumínio, para chamar ainda mais a atenção). Ela quis transcrever todas!!! Ah, sei que as cores para vogais e consoantes são diferentes no método Montessori, mas era a cartolina que tinha em casa, então a gente faz o que pode, não é?! 😉

9527488050_324610fbeb 9527476880_79f2bd60c9

O mais engraçado é que ela geralmente escreve com a mão esquerda, mas nesse exercício usou a mão direita. 😉

Atividades realizadas em: 14/08/2013

  5 comments for “Leitura das primeiras palavras, tinta invisível e letras de lixa

  1. 16/08/2013 at 00:00

    Pricila!
    Se eu tivesse que destacar uma coisa só entre todas as que gostei do que você trouxe, seria seu sossego. É tão comum vermos gente preocupada porque a criança “isso”, “aquilo” ou “aquilo outro” ou mesmo porque o material tinha de ser X, Y ou Z e ele é só um M bem traçado.
    Seu sossego, sua tranquilidade, paciência e amor, aliados a uma perceptível rotina de observação que fica evidente na tua escrita fazem com que essa preocupação excessiva se dissolva e dê lugar à prática séria, mas tranquila, de experiências educacionais muito belas! =)
    Abraços!

    • pricila
      16/08/2013 at 00:22

      Gabriel, fiquei emocionada com seu comentário! Mas olha, se tem alguma coisa (entre as várias!!!) que você me ensinou através do Lar Montessori, é: “observar a criança”. E fazendo uma confissão bem de cantinho, às vezes rola preocupação e frustração, afinal somos humanos. Mas sempre que isso acontece procuro me policiar e ver no que preciso mudar. 😉

  2. 16/08/2013 at 00:10

    Pricila, Se eu tivesse que escolher uma coisa entre as muitas coisas legais que esse artigo trouxe, seria seu sossego.
    É fácil demais encontrar montessorianos que, preocupadíssimos com os padrões de desenvolvimento da criança, não entendem porque ela age da forma X, Y ou Z, e porque ainda não faz A, B e C mas já faz P, Q e R…
    Também é muito comum encontrar quem se preocupe de forma tal com a pureza e a perfeição do material que esqueça de ver se a criança está gostando de usar e se o propósito do material está sendo atingido.
    Seu sossego, unido a uma rotina de observação atenta que fica clara no seu texto, levam a uma cena bonita de ver e de saber que aconteceu!
    Abraços,
    Gabriel

  3. 28/03/2016 at 19:09

    Olá Priscila! Adorei seu post! Concordo com o Gabriel, você transmite muito sossego e isso é muito bom! Porque quando “montessoriamos” ficamos ansiosas e com medo de fazer errado, de passar o período sensível, isso e aquilo.
    Gostei muito do seu blog. Com certeza passarei aqui mais vezes.
    Te convido para conhecer o meu: Chuva e Sol, Mãe de Espanhol. Também sobre montessori e outras coisas.
    Um abraço

    • pricila
      30/03/2016 at 19:07

      Obrigada, Alessandra! Apesar de transmitir sossego, a angústia de não conseguir oferecer tudo o que gostaria de acordo com Montessori para meus pequenos é diária, viu?! Adorei seu site, já o coloquei nos meus feeds. Beijos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *